quinta-feira, 4 de maio de 2017

CAPJ realiza roda de conversa com adolescentes no Ponto de Cultura Casa do Sol em Cajazaeiras

Na última terça-feira, 02, Uelen, Larissa e Jéssica representando a CAPJ (Coordenação Arquidiocesana da Pastoral da Juventude), estiveram presentes na Casa do Sol Pe. Luiz Lintner, Cajazeiras V, para dialogar com adolescentes e jovens sobre o cenário político atual.

Na ocasião levamos um documentário que fala sobre as ocupações das escolas em SP no ano de 2016. A partir disso, abrimos uma roda de conversa sobre política, cidadania e direitos. 
Esta atividade foi uma realização do projeto Ponto de Cultura que acontece toda semana na casa do Sol. 
Nós ficamos muito contentes com a experiência e estamos abertos a mais convites. Agradecemos a Casa do Sol pela acolhida, aos adolescentes e jovens pela maravilhosa participação e a Cáritas Brasileira Regional NE3 pela confiança ao indicar nossa organização para esta atividade. 
Seguimos juntos na luta pela construção da Civilização do Amor. 


#oQueNosimpulsionaéoAmor 
#PJEuAcredito 
#PJSalvador







quarta-feira, 3 de maio de 2017

PJ Salvador realiza Escola de Formação de Agentes Pastorais

No último final de semana, aconteceu na Casa de Encontros Sagrada Família em São Caetano, a Escola de Formação de Agentes Pastorais - EFAP, organizado pela coordenação arquidiocesana da Pastoral da Juventude. 

Na sexta-feira, 28, greve geral no Brasil, a Pastoral aderiu à greve, incentivando nas redes sociais a conscientização e a manifestação contra as reformas que retiram os direitos dos trabalhadores, bem como outras reformas que não há ampla participação e consulta popular, seguindo assim, as orientações da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil).

Slide sobre a importância de ter uma motivação
Slide sobre a importância de ter uma motivação 
No sábado, iniciou a Escola com o café da manhã reforçado, em seguida, trabalhando a formação Bíblica-Teológica com o Assistente Eclesiástico da PJ, pe. Josuel Jesus, que focou no tema da Juventude e Espiritualidade Libertadora, apresentando aos jovens, o caminho do discipulado de Jesus, as diferenças entre uma juventude de empolgação e uma juventude de motivação. Além disso, o padre trabalhou também com o documentário intitulado de "A igreja de Medellín a Aparecida", o qual mostrou um histórico da Igreja Latina Americana, o surgimento da Teologia da Libertação e dos movimentos carismáticos, bem como, a resistência de uma igreja mais tradicional. 
Slide sobre grupo de base

Já no final da manhã, foi a vez de Carla Saadia, ex-assessora da PJ, falar sobre Pastoral da Juventude e o Grupos de Jovens, apresentando aos jovens os conceitos básicos e a metodologia VER-JULGAR-AGIR-REVER-CELEBRAR.

Maicelma e os jovens vivenciando a cultura do abraço
No período da tarde, foi um momento maravilhoso de relaxamento, integração e conhecimento, tudo numa só dimensão. Esta foi a dimensão Psico-Afetiva, que sempre vem mexer com o íntimo de cada um, revirar por dentro e colocar para fora. Desta vez, quem colaborou foi Mailcelma Maia, pedagoga e ex-articuladora da PJB, focando nos pontos do "eu comigo mesmo" e "eu com o outro", buscando trabalhar em cima das relações interpessoais. Foi possível aprender e tentar viver a cultura do respeito, do abraço, do carinho, do amor ao outro.

O dia foi finalizado com a noite cultural, onde celebrou-se partilhando a comida, partilhando a vida, brincando de Santos e Inimigos... a diversão se arrastou pela madrugada. 

Mas, de manhã logo cedo, todos estavam acordados para o café e para a oração da manhã, feita junto a natureza do lugar. 
Oração da Manhã: casa comum e espiritualidade

Na manhã do dia 30, foi trabalhado a dimensão Sócio-Política, e quem assessorou foi Hildete Emanuele, especialista em Juventude, atualmente articuladora da ASA (Ação Social Arquidiocesana), que propiciou uma reflexão sobre democracia, participação social, importância da leitura e do acesso as informações dos diversos meios e mídias. Chamando a atenção para as mídias independentes, trouxe também uma breve análise história dos últimos 10 anos da política no Brasil, com enfoque nas políticas públicas e programas sociais, mostrando que houve muitos programas e poucas políticas públicas.
Dimensão Sócio-Política: um convite a participação social
No final disto, ficou a mensagem de que é preciso fazer política em todos os lugares e lutar pelos direitos da juventude, dos/as trabalhadores, lutar por uma democracia participativa e um mundo melhor. 

Para fechar com excelência, na pequena capela da casa de retiro, Padre João Pedro, Assistente Eclesiástico da PJ, celebrou a Eucaristia, uma missa marcada por simplicidade, mas de uma riqueza sem igual, fazendo memória a formação que Jesus dava a seus discípulos e relacionando à escola de formação. 

Foi um final de semana, de espiritualidade, formação e integração e assim caminha a Pastoral da Juventude de Salvador para seu Jubileu de Ouro, tendo sempre no horizonte que um "outro mundo é possível", pois "o que nos impulsiona é o Amor".


























sexta-feira, 14 de abril de 2017

Mensagem Sexta-feira da Paixão



Mesmo no caminho do calvário, é preciso reconhecer, acalmar, acalentar e oferecer todas as nossas dores, mas a grande beleza de todo o mistério que hoje nos envolve, nos convida a contemplar o Deus Humano que se apresenta a cada um de nós e nos convida a viver e se doar por Amor.
#SemanaSanta
#PJSalvador
#OqueNosImpulsionaÉoAmor

ORAÇÃO COMPLETA ABAIXO:

Ó Cruz de Cristo!

Ó Cruz de Cristo, símbolo do amor divino e da injustiça humana, ícone do sacrifício supremo por amor e do egoísmo extremo por insensatez, instrumento de morte e caminho de ressurreição, sinal da obediência e emblema da traição, patíbulo da perseguição e estandarte da vitória.

Ó Cruz de Cristo, ainda hoje te vemos erguida nas nossas irmãs e nos nossos irmãos assassinados, queimados vivos, degolados e decapitados com as espadas barbáricas e com o silêncio velhaco.

O Cruz de Cristo, ainda hoje te vemos nos rostos exaustos e assustados das crianças, das mulheres e das pessoas que fogem das guerras e das violências e, muitas vezes, não encontram senão a morte e muitos Pilatos com as mãos lavadas.

Ó Cruz de Cristo, ainda hoje te vemos nos doutores da letra e não do espírito, da morte e não da vida, que, em vez de ensinar a misericórdia e a vida, ameaçam com a punição e a morte e condenam o justo.

Ó Cruz de Cristo, ainda hoje te vemos nos ministros infiéis que, em vez de se despojarem das suas vãs ambições, despojam mesmo os inocentes da sua dignidade.

Ó Cruz de Cristo, vemos-te ainda hoje nos corações empedernidos daqueles que julgam comodamente os outros, corações prontos a condená-los até mesmo à lapidação, sem nunca se darem conta dos seus pecados e culpas.

Ó Cruz de Cristo, vemos-te ainda hoje nos fundamentalismos e no terrorismo dos seguidores de alguma religião que profanam o nome de Deus e o utilizam para justificar as suas inauditas violências.

Ó Cruz de Cristo, vemos-te ainda hoje naqueles que querem tirar-te dos lugares públicos e excluir-te da vida pública, em nome de certo paganismo laicista ou mesmo em nome da igualdade que tu própria nos ensinaste.

Ó Cruz de Cristo, vemos-te ainda hoje nos poderosos e nos vendedores de armas que alimentam a fornalha das guerras com o sangue inocente dos irmãos.

Ó Cruz de Cristo, vemos-te ainda hoje nos traidores que, por trinta dinheiros, entregam à morte qualquer um.

Ó Cruz de Cristo, vemos-te ainda hoje nos ladrões e corruptos que, em vez de salvaguardar o bem comum e a ética, vendem-se no miserável mercado da imoralidade.

Ó Cruz de Cristo, vemos-te ainda hoje nos insensatos que constroem depósitos para armazenar tesouros que perecem, deixando Lázaro morrer de fome às suas portas.

Ó Cruz de Cristo, vemos-te ainda hoje nos destruidores da nossa «casa comum» que, egoisticamente, arruínam o futuro das próximas gerações.

Ó Cruz de Cristo, vemos-te ainda hoje nos idosos abandonados pelos seus familiares, nas pessoas com deficiência e nas crianças desnutridas e descartadas pela nossa sociedade egoísta e hipócrita.

Ó Cruz de Cristo, vemos-te ainda hoje no nosso Mediterrâneo e no Mar Egeu feitos um cemitério insaciável, imagem da nossa consciência insensível e narcotizada.

Ó Cruz de Cristo, imagem do amor sem fim e caminho da Ressurreição, vemos-te ainda hoje nas pessoas boas e justas que fazem o bem sem procurar aplausos nem a admiração dos outros.

Ó Cruz de Cristo, vemos-te ainda hoje nos ministros fiéis e humildes que iluminam a escuridão da nossa vida como velas que se consumam gratuitamente para iluminar a vida dos últimos.

Ó Cruz de Cristo, vemos-te ainda hoje nos rostos das religiosas e dos consagrados – os bons samaritanos – que abandonam tudo para faixar, no silêncio evangélico, as feridas das pobrezas e da injustiça.

Ó Cruz de Cristo, vemos-te ainda hoje nos misericordiosos que encontram na misericórdia a expressão mais alta da justiça e da fé.

Ó Cruz de Cristo, vemos-te ainda hoje nas pessoas simples que vivem jubilosamente a sua fé no dia-a-dia e na filial observância dos mandamentos.

O Cruz de Cristo, vemos-te ainda hoje nos arrependidos que, a partir das profundezas da miséria dos seus pecados, sabem gritar: Senhor, lembra-Te de mim no teu reino!

Ó Cruz de Cristo, vemos-te ainda hoje nos Beatos e nos Santos que sabem atravessar a noite escura da fé sem perder a confiança em ti e sem a pretensão de compreender o teu silêncio misterioso.

Ó Cruz de Cristo, vemos-te ainda hoje nas famílias que vivem com fidelidade e fecundidade a sua vocação matrimonial.

Ó Cruz de Cristo, vemos-te ainda hoje nos voluntários que generosamente socorrem os necessitados e os feridos.

Ó Cruz de Cristo, vemos-te ainda hoje nos perseguidos pela sua fé que, no sofrimento, continuam a dar testemunho autêntico de Jesus e do Evangelho.

Ó Cruz de Cristo, vemos-te ainda hoje nos que sonham com um coração de criança e que trabalham cada dia para tornar o mundo um lugar melhor, mais humana e mais justo.

Em ti, Santa Cruz, vemos Deus que ama até ao fim, e vemos o ódio que domina e cega os corações e as mentes daqueles que preferem as trevas à luz.

Ó Cruz de Cristo, Arca de Noé que salvou a humanidade do dilúvio do pecado, salva-nos do mal e do maligno! Ó Trono de David e selo da Aliança divina e eterna, desperta-nos das seduções da vaidade! Ó grito de amor, suscita em nós o desejo de Deus, do bem e da luz.

Ó Cruz de Cristo, ensina-nos que o amanhecer do sol é mais forte do que a escuridão da noite. Ó Cruz de Cristo, ensina-nos que a aparente vitória do mal se dissipa diante do túmulo vazio e perante a certeza da Ressurreição e do amor de Deus que nada pode derrotar, obscurecer ou enfraquecer.
Amém!

Papa Francisco